Pesquisar este blog

sábado, 21 de abril de 2018

FACILITAÇÃO E AJUDA



          São termos usados naturalmente, quase como sinônimos, assim como cuidar... Em nossas relações mais próximas, queremos sempre facilitar a vida de quem amamos. Facilitação tem a característica de ação prática, rápida, eficaz, para superar as dificuldades do Outro com os desafios de sua vida, criados ou não por ele mesmo. O que nos move é o ego, com suas crenças, seu amor possessivo, seu controle... Acreditamos que somos responsáveis pelo Outro, por suas escolhas, suas falhas, pelo resgate de sua vida e felicidade. Amamos e queremos ser amados. Precisamos mostrar eficiência em cuidar deles, salvá-los...
          Muitas vezes tomamos essa atitude de proteção e resgate desde a infância de nossos filhos e continuamos pela adolescência e vida adulta! Não queremos que se frustrem, que se machuquem, sem perceber, talvez, que dificultamos seu crescimento e a descoberta de suas possibilidades. Acreditando, também,  em sua “incapacidade” de resolver seus desafios, tomamos a frente das situações e nos dispomos a resolvê-las. Afinal, nós sabemos o que é melhor para eles!   Com os mais idosos, que tanto amamos, também tomamos a atitude de facilitador, condenando-os à inatividade e a “um resto de vida” sem sentido, rotulados que ficam como inativos, incapazes...
            Quando somos facilitadores sentimo-nos protetores, generosos... Não percebemos que nossos “cuidados” são invasivos e acabam por sufocá-los, atropelá-los. Nós assim nos sobrepomos a eles, abafando-os, anulando-os, humilhando-os. Não notamos que nossa facilitação está dizendo:  “Eu sei mais, sou melhor! Você é menos, é incapaz... Você não pode, não consegue!”   Nosso ego sente-se poderoso, nossa vaidade cresce por sermos fortes, generosos e reconhecidos. Mas para manter todas essas atitudes, lutamos, nos cansamos, nos vitimamos, cobramos, magoamos e nos magoamos...  No Outro, essa constante facilitação alimenta o medo, a insegurança, a menos valia,  a raiva, a acomodação, a manipulação...  A Facilitação é o boicote da vida do Outro, apenas para evitar que soframos com suas dores!
             E a Ajuda? Para ajudar preciso entender e respeitar os limites entre mim e o Outro.  A ajuda é um gosto e uma necessidade da Alma. Ela se revela a partir do Respeito ao Outro e  na disponibilidade discreta, sem exagero, amiga. Ela se faz sentir na sensibilidade que escuta, no carinho do toque, na presença...  A Ajuda é o Amor respeitoso que não invade, que se nutre de Verdade, que não aceita manipulação, que segura a ansiedade e o medo de sofrer pelo Outro, que apenas coopera, que espera com respeito o seu tempo e se mantém confiante no caminhar do Outro.
             Facilitar é fácil, principalmente quando “não me custa”. É regido pelo Ego e seus valores materiais e imediatistas.Ajudar é de outro nível. É regido pelos valores espirituais do  Amor.
        

sexta-feira, 13 de abril de 2018

S O L T E – S E



         Quando o momento pesa, quando tudo parece tão difícil, confuso, sem saída (pelo menos sem a saída que desejava)   Quando já me sinto sem força, sem “esperança”, com as melhores expectativas frustradas...Quando a decepção e desilusão estão nos meus olhos ao medir o mundo, quando o ressentimento em meu coração já me impede de sorrir, sonhar, perdoar, aceitar...  Quando minha vaidade e meu orgulho são confrontados pelos fatos e pelos outros...  Quando a imensa tristeza me tomar ante tanta dor e loucura no mundo à minha volta...

Ouço um murmúrio leve da Vida a me intuir... Solte-se!  Solte-se da pretensão de querer conduzir a vida dos que ama e de ser a “salvação deles ou da Pátria” !  Solte-se da irritação, raiva, dor pela sua impotência ante os outros! Solte-se de sua tola prepotência de querer dirigir o destino de seus filhos, seus familiares, do seu país...    Solte-se das lutas e disputas do mundo, da sua necessidade de vencer, de convencer, de ter razão... Solte-se da necessidade aprendida de disputar, que nos arrasta para um mundo interior cada vez mais escuro, raivoso, ressentido, depressivo, desesperançado...  Solte-se da gritaria do seu Ego! Solte-se dos desmandos de todos os egos do mundo... Solte-se do que não pode modificar...Solte-se.  

E desse momento de um novo Silêncio, surge mais uma vez o doce sussurro da Vida, que me sugere:   Entregue-se à Paciência, à Serenidade, ao acolhimento de um Poder Maior, Generoso e Silencioso, de Puro Amor.  Entregue-se a Deus... Ele nos acolhe, nos traz descanso, nos faz repousar e traz uma suave força que nos ensina a esperar passar as tempestades...  Ele me intui a vibrar bem, suave, para melhorar a energia que me envolve e que transmito aos outros... Ele me orienta a fazer apenas  o que posso, a minha parte, com humildade, firmeza e honestidade. Ele me traz serenidade e confiança...  Ele Sabe e me transmite a certeza de que caminhamos para dias melhores! 


SOLTE- SE  E  ENTREGUE-SE A DEUS !
 

sexta-feira, 6 de abril de 2018

I N S Ô N I A



          Noites de insônia... Como nos maltratam! Horas que não passam, dia que não chega, manhãs que não clareiam, trazendo luz para espantar a escuridão que me oprimia, que me aprisionava em pensamentos dispersos, saltitantes, confusos, desorganizados  ou insistentes, recorrentes, fixados...  Não há descanso, relaxamento, esquecimento.
         São situações e problemas que voltam, pensamentos insistentes que se impõem e exigem que achemos as soluções – problemas no trabalho, nas relações mais amplas, na família. E nos revolvemos em agonia, querendo achar o sono, uma fuga, um descanso.
          Tentamos pensamentos diferentes e acabamos presos em lembranças... Algumas boas lembranças, que nos trazem saudade, nostalgia, lágrimas aos olhos, que entopem nosso nariz e mais dão mais desconforto ao corpo.   Ou tristes lembranças que nos fazem reviver muita dor, que nos açoitam, indefesos! Ou ainda lembranças ruins de lutas passadas, de erros, culpas, mágoas, vergonhas, raivas...
          Fugimos das lembranças e nos vemos assustados com pensamentos de possíveis perdas e problemas futuros...  Às vezes, conseguimos fugir para boas fantasias, sonhando acordados com situações felizes e ali tentamos ficar, tentando nos agarrar às fantasias. Mas a mente malvada, talvez influenciada pela escuridão e pela nossa prisão à noite, nos carrega pelo medo a, de novo, imaginar dores e perigos a ameaçar a quem amamos. Quanta agonia!
          Por fim, mais uma vez olhamos o relógio e, desta vez, misericordiosamente, o tempo deu uma adiantada! Devo ter cochilado entre um pensamento e outro...
         Vou tentar relaxar meu corpo e minha mente. Não vou lutar contra a insônia, porque a luta me mantem acordada.  Não vou lutar contra meus pensamentos teimosos, apenas não vou “responder” a eles. Vou deixá-los soltos e prestar atenção só à minha respiração... Apenas isso, “Mantenha-o simples”! Solto-me e Entrego-me .ao relaxamento e ao sono...

sexta-feira, 30 de março de 2018

O AMOR PERFEITO



       É o Amor de Deus! O Amor sempre presente, disponível, acolhedor.  Mesmo num mundo de coisas e formas concretas, esse amor, sem forma e imaterial, me envolve, me “ouve”, me sustenta, me apoia...
      Ele acolhe todos os meus medos, me embala, me acarinha. É um Amor que acolhe minha confusão, minhas virtudes, minhas mesquinharias. Ele não me julga, só me acolhe! Ele não teme por mim, porque Ele Sabe que é assim mesmo esse caminhar humano.
       Ele acolhe minha tristeza imensa porque Ele Sabe que o mundo que criamos é ainda imperfeito, torto, injusto, muito triste... Mas Ele Sabe que caminhamos, mesmo através dos descaminhos que nós mesmos criamos...
       Ele acolhe meu pranto como acolhe minhas alegrias, minhas conquistas, porque Ele Sabe que irei vencendo os desafios.
       Ele acolhe meu desespero pelas dores e tropeços daqueles que amo. Ele Sabe que eles também estão a caminho, me infunde paciência e me consola.   Ele acolhe, generoso e compassivo, minhas culpas e tristezas por um passado que já não posso consertar.
        Ele acolhe, paciente  e amoroso, as minhas súplicas por milagres que atendam ao que tanto desejo, mesmo quando Ele Sabe que aqueles milagres não devem acontecer nesse momento, por razões que ainda não consigo entender.  Mas que Ele Sabe.
        Esse é o Amor de meu Deus, que me envolve, que Está em mim, que é minha origem e minha destinação, que cada vez mais se revela e cresce em mim.  Se o busco – Ele está aqui! Se o chamo, eu O sinto presente... E quando isto acontece, eu me acalmo, me sinto confortada e fortalecida e então continuo...